Caminho da Inovação 2018 com mais de 400 participantes

A Fábrica de Água de Alcântara foi palco do segundo encontro “O Caminho da Inovação”, dedicado à temática da inovação no setor da água, organizado pela Águas do Tejo Atlântico. Além dos painéis de apresentações e debate, o evento, realizado no dia 26, recebeu cerca de 50 entidades, desde municípios, entidades gestores, institutos e empresas tecnológicas, que aceitaram o desafio e trouxeram para exposição os seus mais recentes projetos por forma a partilhar com todos os participantes.

Tendo como enquadramento a estratégia da Águas do Tejo Atlântico, António Frazão falou sobre a inovação em sistemas de saneamento, desde a problemática das afluências indevidas, à transição para uma economia circular e os desafios no controlo dos compostos emergentes. Foram ainda referidos os objetivos da empresa para o ano de 2019, que inclui a reutilização água+, BioLamas, Água Digital e a criação do Centro de Inovação.

No que concerne à reutilização de águas residuais tratadas, o debate centrou-se nos principais fatores e desafios para um crescimento sustentável da reutilização de água e quais as tendências da inovação tecnológica no processos de tratamento. O Município de Lisboa apresentou os desenvolvimentos e projetos futuros relativos a esta temática.

Em simultâneo, decorreu uma sessão dedicada ao LIFE Impetus, uma oportunidade para abordar os desafios da quantificação de compostos emergentes e a avaliação de estratégias operacionais que permitam potenciar a sua remoção.

Da parte da tarde discutiu-se a problemática das afluências indevidas e sua resolução, com uma perspetiva conjunta das entidades gestoras dos sistemas de drenagem. Seguiu-se o debateu no âmbito do empreendedorismo e o papel das startups na inovação, em que se referiu a sua importância na introdução de produtos de I&D no mercado, medidas para potenciar a criação e desenvolvimento de startups.

Paralelamente, no auditório 2, abordou-se o conceito de Fábricas de Água na perspetiva de futuros produtos, em particular a flexibilidade energética e as BioLamas.

Já na parte final do encontro, foram entregues os prémios aos projetos vencedores da primeira edição do “Desafio à Inovação 2018”, no caso do desafio “Desenvolvimento de sistemas alternativos de desinfeção”, o projeto vencedor foi “Desenvolvimento de Processos de Tratamento de Águas utilizando Superfícies e Membranas Fotocatalíticas”, realizado por Carmo Fraga, Beatriz Oliveira, Rosa Huertas, Teresa Crespo, João Crespo, Vanessa Pereira, do iBET e FCT-UNL e para o desafio “Introdução de processos de desidratação e secagem de lamas mais eficientes” o  vencedor foi “Clear Returns – Retornos Claros” realizado por Paulo Coelho e Maria Bandeira, da Águas do Tejo Atlântico,  este momento foi ainda aproveitado para o lançamento d“Desafio à Inovação 2019”,  a que se seguiu a celebração dos protocolos de cooperação entre a Águas do Tejo Atlântico e os seus parceiros de inovação". 

Recordamos que a estratégia da Águas da Tejo Atlântico prevê o investimento de 1,5% do seu orçamento anual na área da inovação, tem como meta chegar aos 30% de água reciclada e ainda que, nos próximos anos, pretende alcançar o balanço energético neutro em 45 Fábricas de Água (ETAR).